peppedepaula@hotmail.com

domingo, 28 de agosto de 2011

O LADO NEGRO DO TURISMO...

O antagonismo é presente em tudo nessa vida, positivo e negativo, bem e mal e não poderia deixar de existir no TURISMO também e esse lado podre que aparece está sempre sob o comando daqueles "ungidos" politicamente no lugar dos nomeados técnicamente...

Prova disso? É só observar e ler, um exemplo são os recentes escândalos no MINISTÉRIO DO TURISMO, não por culpa dos funcionários de carreira, aqueles que estudaram para passar em concursos e sim pela incompetência dos protegidos partidários, sem mencionar os atos fraudulentos que os mesmos cometem a todo momento...

Prova que não se entendem, até os membros do partido do Ministro (PMDB) estão pedindo a renúncia do mesmo. O tal que destinou $352 milhões para cidades que nem sabem o que é turista, porque nunca receberam um turista sequer, que mencionei aqui no domingo passado.



Esse é um "ministro" que gentilmente doa Um Milhão de reais (!) para uma empreiteira fantasma de um desconhecido município do Maranhão (Lembram quem comanda esse estado de "Coronéis"? Começa com Sa e termina com ney) e tudo isso aí para todo mundo ver descaradamente...

Nesta hora, nos lembramos dos "anões do orçamentO" e do “ranário” do Maranhão...e tudo continua na mesma, para quem duvida que muito pouco mudou nesse país, recomendo duas leituras, 1808 e 1822 de Laurentino Gomes.

Enquanto isso certos personagens fazem "TURISMO" ás custas do erário...

By Péppe de Paula

domingo, 21 de agosto de 2011

NA CONTRAMÃO DO CRESCIMENTO E PROFISSIONALIZAÇÃO NO TURISMO BRASILEIRO...

Péppe de Paula em palestra sobre TURISMO.
Palestrando sobre Turismo com turma da Faculdade Anhembi Morumbi

Sempre recebo emails de um dos melhores Consultores de Turismo que conheço, Eduardo Faraco, é sempre muito interessante ler e refletir sobre suas anotações e dicas sobre o Turismo & Hotelaria em geral. Sua preocupação com a excelência reflete nos seus comentários e nos faz pensar que o TURISMO no Brasil não é levado a sério como deveria, prova disso, as últimas denúncias e escândalos que envolve o MINISTÉRIO DO TURISMO, mais uma vez em vésperas de COPA DO MUNDO, o que prevalece é a vantagem que se pode obter, por parte dos políticos e lobistas, caminhando na contra mão do crescimento e profissionalização do setor...
Por isso, no comentário da semana vou reescrever matéria também distribuída pelo consultor Eduardo Faraco.

Turismo destina R$ 352 mi a cidades que não têm turistas

Dos 841 municípios beneficiados com verbas, apenas 105 são considerados relevantes para o setor no país

Quase a metade das liberações são ligadas a emendas de deputados que citam obras de infraestrutura turística

AGUIRRE TALENTO
DE SÃO PAULO

O Ministério do Turismo gastou R$ 351,7 milhões nos últimos dois anos em obras que nada têm a ver com o setor: drenagem, esgotamento sanitário, praças e pontes.
A maior parte das cidades que receberam as melhorias têm pouco ou nenhum fluxo de visitantes e turistas.
Dos 841 municípios beneficiados pelos convênios de infraestrutura, somente 105 estão na lista dos considerados relevantes para turismo.
Essa relação, feita pelo próprio ministério, é composta por 584 localidades.
Quase metade dos recursos é ligada a emendas parlamentares, propostas sob a rubrica "apoio a projetos de infraestrutura turística".
Uma das emendas do Turismo, destinada à capacitação de profissionais no Amapá, provocou a Operação Voucher da Polícia Federal, deflagrada há duas semanas.
A cidade de Jandira (Grande São Paulo) recebeu R$ 2 milhões no ano passado para realizar uma obra de drenagem e pavimentação. Lá, não existem nem sequer hotéis para receber gente de fora.
A Folha esteve na cidade e questionou as pessoas sobre o turismo. Elas estranharam: "Turismo? Aqui não vem turista", disse um morador.
Falta pouco para a conclusão da obra. Um rio foi canalizado, uma ponte foi construída e será executada a pavimentação do terreno. Os recursos foram pleiteados pela própria prefeitura, administrada pelo PSDB, sem intermediação de emenda.
A obra fica a cerca de 500 metros da prefeitura, mas está a mais de quatro quilômetros da principal atração local, um parque ecológico.
Funcionários da prefeitura dizem que os visitantes do parque são os moradores.

R$ 2,3 MI PARA ASFALTO
No Maranhão, a cidade de Timon, com 125 mil habitantes, ganhou R$ 2,3 milhões em 2010 para asfaltar ruas.
O recurso saiu de emenda do deputado federal Sétimo Waquim (PMDB-MA), que é marido da prefeita, Socorro Waquim (PMDB). Ambos são do mesmo partido e Estado do ministro Pedro Novais.
A prefeitura vê no turismo uma das possibilidades de desenvolvimento da cidade, mas a atividade ainda não pesa na economia local.
No Rio Grande do Sul, Paim Filho (a 343 km de Porto Alegre) ganhou R$ 975 mil para asfaltar uma avenida.
A verba foi viabilizada pelo deputado federal Marco Maia (PT-RS), presidente da Câmara, que pediu à pasta a liberação de recursos, sem necessidade de emenda. O prefeito da cidade, Ceser Beuren, também é petista.
O município tem alguns atrativos, como um balneário e festas religiosas. Mas os maiores beneficiados com as obras foram os habitantes.
"Foi bom para a comodidade dos moradores", disse Ivanilde Conte, coordenadora de projetos da Secretaria de Educação e Cultura. Ela cuida dos projetos ligados ao turismo, já que não há na estrutura municipal uma secretaria destinada à area.
A Folha revelou ontem que a construção de uma ponte, fruto de uma emenda parlamentar do então deputado Pedro Novais (PMDB-MA), hoje ministro do Turismo, beneficiou uma empreiteira fantasma em uma cidade maranhense sem vocação turística, Barra do Corda.

peppedepaula@hotmail.com
peppedepaula@gmail.com
Skype: peppe.de.paula
@tourismeadviser
55 12 9714 1841
55 12 9192 8261

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

PLANO DE SUGESTÕES - AÇÕES PRÓ TURISMO SÃO SEBASTIÃO 2010 PARTE 1

Criado quarta-feira, ‎4‎ de ‎agosto‎ de ‎2010, ‏‎17:35:29



1.REVITALIZAÇÃO DA REGIÃO CENTRAL:
Visto o péssimo estado das edificações da região central de São Sebastião o que corrobora com o declínio do fluxo e permanência de locais, visitantes, veranistas e turistas proponho:
...a . Busca de verbas específicas de cunho governamental para a recuperação, manutenção e restauração de atrativos turísticos públicos através de projetos para captação de recursos específicos dotados no Mitur, SICONV, DADE e etc;
b. Agilização para o início das obras de reurbanização fase II do Aterro da Rua da Praia, Praça de Eventos;
c. Projeto específico (SE dotado e dentro das intenções de políticas públicas para o turismo)para Marina ou pier adequado dentro da extensão da praia do centro;
d. Criação de Concurso com premiação (Que poderá ser buscada em grandes empresas , GM, VW, Hyundai, indústrias de tintas e solventes, etc) como um automóvel por exemplo no primeiro premio, visando os imóveis privados da região central, duas categorias (construções sec XVII e XVIII e construções sec. XIX em diante) que deverão investir no restauro, recuperação, manutenção e serem avaliados por profissionais;
e. Consulta a IPHAN através do Patrimônio Histórico para agilização do restauro dos imóveis tombados;
f. Inserção no calendário oficial de concursos de decorações alusivas (carnaval, páscoa, natal e etc) com premiação nos mesmos moldes do item anterior;
g. Modificar leis que regem a abertura do comércio na região central, promovendo abertura dos mesmos em fins de semana, feriados prolongados e afins;
h. Projeto específico (Se dotado e dentro das intenções de políticas públicas para o turismo)para Centro Específico para logística em convenções, feiras e eventos de grande porte na região central, diga-se aterro (Visto que Centro de Convenções encontra-se embargado e sem solução a médio prazo);
i. Buscar junto a órgãos governamentais apoio e incentivo a cultura, principalmente com apresentações de espetáculos na Rua da Praia, como festival de jazz, festival de circo mambembe, grandes shows com nomes da MPB, um ou dois shows internacionais, porém tudo com perpetuação sob contrato visando os próximos 5 a 10 anos;
j. Oferecer o território a grandes agências nacionais e internacionais para cenários de filmes, novelas, comerciais, clipes;
l. Captar grandes competições esportivas;
m. Atrair para a região central pequenas convenções, congressos e feiras pertencentes a já saturada cidade de São Paulo (Pesquisa da Revista Veja que diz que grande parte dos freqüentadores desses eventos já não suportam mais irem a São Paulo).

Certamente são algumas ações que contribuirão para estimular e alavancar a situação letárgica no fluxo turístico do município, no entanto as responsabilidades públicas de estruturar adequadamente as competências de suas políticas devem ser revisadas e as privadas de incentivar e arregimentar o trade e empresariado que precisam se unir efetivamente para realmente terem poder de barganha e decisões dentro desse cenário.

Nesse cenário pactual deve-se levar em consideração uma grande capacidade de articulação elencadas em projetos bem elaborados nos itens que buscam essas necessidades e especificidades.

Como ponto de observação dentro das reivindicações do trade, poderemos observar junto ao site do Ministério do Turismo que São Paulo de um modo geral não está inserido dentro do Programa de Regionalização, as instâncias de governança, ou seja ele não aparece nos endereços fornecidos pelo site do Ministério, no nosso caso a Ilhabela, parecem estarem forte como unidades municipais, porém a articulação falha em algum momento e a região parece sofrer um “coma induzido” que ainda não constituiu sua forma (Fórum, conselho, associação, etc) enquanto outras regiões do país direcionam-se a 2014 e excelência em turismo e por isso não temos acesso as verbas federais disponíveis, pois já saiu dia 30 de julho passado edital para participação em Projetos de Apoio às iniciativas de fortalecimento das instituições de Governança Regional.

(sic)...INSTÂNCIA DE GOVERNANÇA REGIONAL (IGR): A palavra Governança diz respeito ao ato de governar, conduzir, reger. As Instâncias de Governança são organizações representativas dos poderes público e privado, da sociedade civil organizada dos municípios componentes das regiões turísticas,que se constituem como espaços sociais de gestão compartilhada de assuntos e programas de interesse público. Podemos ainda dizer que instâncias de governança são as novas institucionalidades que representam as novas relações entre os diversos atores sociais, buscando assegurar a sustentabilidade do processo complexo de desenvolvimento. Ministério do Turismo IGR 001/2010.

O “sonho comanda a vida” , e seguramente, sem “sonho”, não chegará a haver “TURISMO” para desafiar utopias em nosso município, porém a demora em que outros projetos, como a formalização do grupo da regionalização e a assinatura do compromisso do Circuito Turístico Litoral Norte não acontecem, ficamos à margem da insatisfação do trade e empresariado, pois as ações sempre estiveram focadas nesses produtos.

No entanto a transformação desse sonho em realidade depende não só da vontade de um profissional ou equipe mas do apoio e recursos para efetivamente acontecer.

Turismo não é despesa é investimento!

Prof.Esp. J. Iran Péppe de Paula
LP9513618
CREF 016105 G/SP